Novo gestor de Camaragibe vai enfrentar problemas na saúde

jorgealexandre

Entre demissões, atrasos de salários e falta de serviços básicos, as futuras gestões herdarão grandes dores de cabeça. Uma das principais dificuldades na transição está no comando de Camaragibe. Após desbancar o prefeito Jorge Alexandre (PSDB), Demóstenes Meira (PTB) terá dificuldades para reestruturar a saúde do município.Diversos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) foram demitidos após as eleições levando diversas Unidades de Saúde da Família (USF) a sofrerem com a precariedade no atendimento. O caso foi denunciado pelo Conselho Regional de Medicina de Pernambuco , junto ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

A situação não é diferente em Vitória de Santo Antão. Derrotado nas urnas, o prefeito Elias Alves (PSD) vem atrasando os salários dos servidores da educação e saúde, o que levou os sindicatos das duas categorias a acionar a Promotoria de Justiça. O prefeito eleito Aglailson Júnior (PSB) terá uma dura tarefa até equilibrar as contas e passar por uma serena transição, uma vez que a outra queixa dos sindicalistas é a falta de informações no Portal da Transparência.
Em Bom Jardim, o prefeito Miguel Barbosa (PP), ao não se reeleger, demitiu diversos funcionários temporários, o que levou a carência no atendimento de vários serviços públicos. O fato levou o MPPE a ingressar com uma ação civil pública e o pepista poderá responder por improbidade administrativa. O prefeito eleito João Lira (PSD) terá o desafio de recompor a demanda reprimida.
Já a prefeita eleita de Cumaru, Mariana Medeiros (PTC), reclamou ontem à Rádio Folha FM 96,7 da dificuldade que vem sofrendo para receber dados . A equipe de transição reclamou ao MPPE, MPCO e TCE sobre a falta de informações e destacou que, apesar dos atrasos de salários, o prefeito Eduardo Tabosa (PSD) realizou a festa de Santa Terezinha de Cumaru, padroeira local, com shows, contrariando recomendação do MP local.
Outro caso emblemático ocorre em Macaparana: a Prefeitura apresenta o quadro em que 81,2% da receita é utilizada para pagamento pessoal, quando o limite previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) é de 54% e o prefeito Paulo Barbosa (PMDB) tentou nomear outros servidores, após a derrota nas urnas para o ex-deputado estadual Maviael Cavalcanti (DEM). Há também denúncias de suspensão de cirurgias e falta de medicamento. A reportagem da Folha de Pernambuco tentou contato com Barbosa, mas ao se identificar, o prefeito desligou o telefone. Os demais prefeitos citados foram procurados, mas não retornaram.

TCE julgou que contratações temporárias da Prefeitura de Camaragibe são ilegais

SEGUNDA CAMARA

Em sessão realizada na manhã da última quinta-feira (24/11), a Segunda Câmara do TCE julgou ilegais 31 (trinta e um) contratações temporárias para cargos como agente de endemias, enfermeiro e auxiliar de serviços gerais, realizadas pela Prefeitura de Camaragibe em 2015. O processo (TC N° 1508569-7) teve como relator o conselheiro substituto Marcos Flávio Tenório.

De acordo com o Relatório de Auditoria, as contratações realizadas contrariam o preceito da Constituição Federal, o qual consagra o concurso público como regra geral para a investidura em cargo público, uma vez que não foi demonstrada a necessidade excepcional que deve justificar as contratações temporárias.

Além disso, a prefeitura não enviou para o Tribunal a documentação alusiva ao caso, como determina a Resolução TC n° 01/2015, que dispõe sobre a admissão de pessoal pelos órgãos públicos.

Ainda de acordo com o relatório, o prefeito de Camaragibe, Jorge Alexandre Soares da Silva, foi notificado e solicitou uma prorrogação de prazo para apresentação de sua defesa. No entanto, a defesa não foi apresentada ao Tribunal.Diante disso, o conselheiro relator julgou ilegais as 31 (trinta e um) contratações temporárias e negou os registros dos respectivos atos.

O Ministério Público de Contas foi representado na sessão de julgamento pela procuradora Maria Nilda da Silva.

http://www.tce.pe.gov.br/internet/index.php/lista-noticias/148-novembro/2693-contratacoes-temporarias-da-prefeitura-de-camaragibe-sao-consideradas-ilegais

Ministério Público investiga denúncias de demissões em Camaragibe após prefeito perder eleições

jorge

Demissão e desativação de estabelecimentos. Esses são casos proibidos, mas recorrentes durante a transição entre prefeitos nos municípios onde os atuais gestores não se reelegeram ou não elegeram sucessores. Um dos casos investigados pelo Ministério Público de Pernambuco é de denúncias de demissões na área de saúde em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, onde o atual gestor Jorge Alexandre, do PSDB, perdeu nas urnas com 39,89% dos votos, atrás do eleito Meira, do PTB, que ficou com 56,49%.

O MPPE e entidades médicas de Pernambuco – Cremepe, AMPE e Simepe – receberam denúncias que afirmam que nos últimos três meses profissionais de saúde que prestavam serviço para a prefeitura foram demitidos e foram fechados dois Centros de Especialidades Médicas (Cemec), os de Tabatinga e de Vera Cruz, que atuavam como urgência e emergência. Apenas o Hospital Aristeu Chaves (Cemec Centro), que atua como ambulatório, permanece ativo.

A prefeitura de Camaragibe afirmou em nota que precisou reestruturar o quadro de funcionários dos serviços de saúde e da própria secretaria. “Em observância às orientações, foram mantidos os contratos estabelecidos via concurso e seleção pública. A reestruturação foi executada de modo a minimizar o impacto sobre a população, contudo, a disponibilidade de recursos humanos atual não é suficiente para manter três centros de saúde em funcionamento e, por isso, os funcionários foram centralizados no Hospital Aristeu Chaves (Cemec Centro), que encontra-se em funcionamento normal”, diz o texto. “Todas as ações tomadas prezam pela manutenção da garantia de acesso à saúde para a população, pelo respeito ao trabalho desenvolvido pelos profissionais de saúde e trabalhadores da rede e pela sustentabilidade financeira do município”, conclui a gestão municipal.

Uma residente da área de saúde mental que preferiu não se identificar, porém, afirma reclama da mudança e denuncia que todos os psiquiatras saíram do Cemec Centro e há apenas um quadro de duas psicólogas. “O maior prejudicado é a população! A gente já teve rede de saúde que foi exemplo no Brasil todo, mas agora está completamente sucateada”, declarou.

Ainda conforme a residente, além do corte dos prestadores de serviços e da desativação de dois Cemecs, a unidade de acolhimento para usuários de álcool e outras drogas corre o risco de fechar, assim como os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) correm risco de diminuir o expediente.

“Dos três Caps, dois estão sem gerência. Esses são serviços que lidam com crise, com gente que está em surto, que precisa de um atendimento junto e funcionando”, denunciou.

Para o usuário da rede de saúde mental Mário Cézar de Morais, atendido pela rede há três meses, a situação mostra uma falta de consideração da parte governamental. “Minha psiquiatra foi posta para fora, vou ter que ser remanejado para outra. Até copo descartável a gente não tem”, desabafou.

De acordo com Mário, cerca de 15 funcionários atuavam no Caps Campo Verde, e agora restam quatro. “O atendimento ficou precário. Havia muita gente voltando às suas atividades, se desenvolvendo bem… Isso é uma perda não só para os usuários da rede, mas para os familiares também”, declarou.

Os números de demissões não foram divulgados pela Prefeitura de Camaragibe e ainda estão sendo checados pelo Ministério Público.

Na última sexta-feira (14), ocorreu uma audiência na Promotoria de Justiça de Camaragibe com representantes da Secretaria de Saúde de Camaragibe e do Cremepe para verificar a escala de serviço dos médicos. O órgão municipal se comprometeu a enviar relação com todos os casos de demissão, desligamentos, encerramento de prestação de serviço ou de contratação de médicos pelo município no período da denúncia, os últimos três meses.

Foi determinado na reunião que o Cremepe iria realizar inspeção nos serviços da saúde em Camaragibe, enviando o devido relatório da inspeção ao MPPE. “Vamos fiscalizar a assistência médica em algumas cidades, e se houve demissão ou não, uma delas é Camaragibe”, finalizou André, ao comentar que o prazo para a entrega do documento é na próxima quarta-feira (19).

De acordo com uma nota divulgada no site oficial do Cremepe, esse tipo de atitude prejudica diretamente a população, principalmente os setores mais pobres. “Nós não mediremos esforços para percorrer esses municípios, elaborar um relatório e divulgá-lo para todo o País com o objetivo de chamar a atenção para essa grave situação”, diz o texto.

Segundo o presidente do Cremepe, André Dubeux, foram recebidas denúncias não apenas de Camaragibe, mas também de Nazaré da Mata e Gameleira, na Zona da Mata pernambucana. “Essas denúncias representam o resultado de relações trabalhistas muito precárias”, afirmou o presidente do conselho.

Ministério Público e outros órgãos de olho nas transições municipais

Nessa segunda-feira (17), os representantes do Ministério Público de Pernambuco, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público de Contas, Ministério Público do Trabalho, Procuradoria da República em Pernambuco, Procuradoria Regional da 5ª Região, Conselho Regional de Medicina e os órgãos que compõem o Fórum de Combate à Corrupção (Focco/PE), se reuniram na sede da Procuradoria Geral de Justiça, na área Central do Recife.

O intuito da reunião foi acompanhar a transição das gestões municipais para se evitar a costumeira prática da terra arrasada que atenta contra a boa gestão e regularidade dos serviços essenciais. Uma próxima reunião será realizada no dia 26 de outubro, desta vez junto aos prefeitos eleitos e da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) para se chegar a um denominador comum.

http://blogs.ne10.uol.com.br/jamildo/2016/10/18/mppe-investiga-denuncia-de-demissoes-em-camaragibe-apos-prefeito-perder-eleicoes/

Após derrota nas eleições, Prefeito Jorge Alexandre demite funcionários da saúde, educação e segurança pública

ja

Passados poucos dias após a derrota nas urnas do último domingo, o atual prefeito Jorge Alexandre (PSDB) começa a enxugar a máquina pública. Porém, ao invés de cortar cargos comissionados, está cortando profissionais que prestam serviços essenciais para o município.

Na saúde, a maioria dos prestadores de serviços AD do CAPS, tanto infantil quando transtorno, foram demitidos.

Na educação, os estagiários da educação infantil e da educação especial, além dos funcionários de limpeza das escolas também foram demitidos.

Na segurança pública, vários dos seguranças que ficavam nas ruas, como na Rua Eliza Cabral e no “Mercado Municipal” foram também demitidos.

Estamos vendo a prioridade que o prefeito dá em relação a corte de gastos. Ao invés de cortar os cargos comissionados da gestão, está cortando os prestadores de serviço que são essenciais para o funcionamento básico das unidades de saúde e educação, bem como, para garantir um mínimo de segurança pública.

Pelo jeito, o prefeito gastou por conta já esperando ser eleito, e com a forte derrota que sofreu nas urnas domingo, está precisando se recuperar para não entregar a gestão com um rombo ainda maior do que já está…

Camaragibe vai viver 3 meses ainda piores do que os 3 anos e 9 meses que já viveu na gestão do atual prefeito… Se é que tem como ficar pior…

De 39 promessas feitas na eleição passada, Jorge Alexandre cumpriu apenas 1

jorge1

Prefeito Jorge Alexandre muito prometeu, pouco cumpriu. Apenas 1 das 39 promessas de campanha do prefeito saíram totalmente do papel.

Confira todas as promessas que Jorge Alexandre fez em 2012, e o status de cada uma das promessas.

Desta forma é possível analisar se de fato ele fez muito ou pouco pela nossa idade. Isto pode ajudar você a avaliar a gestão e escolher seu voto na eleição do próximo domingo!

Legenda:

Feitas > Em Verde (Promessa foi cumprida integralmente)

Não Feitas – Em Vermelho (Promessa não saiu do papel)

Iniciadas – Em Azul (Algo foi iniciado, mas não foi dado andamento, ou não se cumpriu o que está escrito integralmente em seu programa de governo, ou ainda está a desejar)

 

SEGURANÇA PÚBLICA

  1. Iluminação de qualidade das ruas do município.
  2. Implantação do Sistema de Monitoramento através de câmeras 24h nas principais vias e equipamentos públicos e nos pontos com alto índice de violência.
  3. Implantação de programas de segurança social e de combate às drogas voltados para a prevenção da criminalidade e para promoção da cultura da paz.
  4. Implantação do Plano Municipal de Segurança Pública a partir de ações integradas com participação dos diversos segmentos da sociedade, assim como entidades e órgãos públicos ligados à segurança pública.

SAÚDE

  1. Implantação do SISTEMA INTEGRADO DE SERVIÇOS DE SAÚDE MUNICIPAL, que será uma rede capacitada de pontos de atendimento para consultas (clínica geral e especialidades).
  2. Contratar médicos e outros profissionais de saúde.
  3. Requalificar todas as Unidades de Saúde da Família ampliando e organizando os serviços em função das necessidades de cada comunidade.
  4. Reestruturar e ampliar os serviços de urgência/emergência mantendo serviços 24 horas e compatíveis com as necessidades da população.
  5. Garantir o atendimento de qualidade da demanda de partos no município.
  6. Melhorar e ampliar o fornecimento gratuito de medicamentos à população, na rede de saúde ou em domicílio.
  7. Capacitar os servidores para o atendimento humanizado.
  8. Redimensionar o Programa de Saúde da Família (PSF) de modo a reduzir a prática curativa.
  9. Fazer com que o CEMEC cumpra sua função de ser um centro de especialidades médicas.
  10. Firmar convênios federal e estadual para implantação da UPA de Camaragibe.
  11. Ampliar o atendimento de urgência/emergência, SAMU, com a criação dos Anjos da Vida.

EDUCAÇÃO E ESPORTES

  1. Implantação das ESCOLAS DE REFERÊNCIA EM ENSINO FUNDAMENTAL com horário integral, currículo diferenciado, salas temáticas, laboratórios e práticas.
  2. Proporcionar educação de qualidade respeitando a demanda de cada bairro, com garantia de acesso à escola para todos os alunos.
  3. Implantação do PROGRAMA CRECHE AMIGA com a construção de creches para cada uma das cinco regiões político-administrativas do município (RPAs).
  4. Implantação do PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PARA O MUNDO DO TRABALHO dirigido a adolescentes de 14 a 17 anos.
  5. Criação do Sistema de Escolas Conectadas, favorecendo acessibilidade, inclusão, monitoramento e avaliação, e disponibilizando internet grátis.
  6. Criação dos Centros Poliesportivos.

INFRAESTRUTURA

  1. Investimento em um projeto moderno de saneamento e calçamento para as ruas do município.
  2. Recuperação e requalificação do Mercado Municipal de Camaragibe, readequando as instalações às condições ideais de operacionalidade, segurança e sustentabilidade, conferindo-lhe renovadas funções como um moderno e funcional Centro Comercial Varejista.
  3. Requalificação do comércio do centro, reestruturando a Belmino Correia e a Eliza Cabral.
  4. Estruturação da cidade para receber turistas na Copa de 2014.
  5. Criação do Polo Gastronômico de Aldeia e pontos representativos da cultura local.
  6. Qualificação profissional de jovens e criação de programas de inserção no mercado de trabalho, durante e depois da Copa.
  7. Conquista de investimentos com o objetivo de desenvolver as potencialidades do município ligadas aos segmentos industrial e turístico gerando emprego e renda para a população.
  8. Implantação do SISTEMA DE GESTÃO AUTOVIÁRIA (SIGA) – unificação da malha viária da cidade a partir da interligação de todos os bairros, promovendo condições adequadas de mobilidade urbana.

LIMPEZA URBANA

  1. Promover um sistema regular de coleta de lixo, com incentivo à coleta seletiva.
  2. Efetivar a parceria ou consórcio para aterro sanitário.
  3. Implantação do Programa Gari Comunitário.

CULTURA E LAZER

  1. Construção e recuperação das áreas de convivência (praças).
  2. Criação do polo multicultural da Vila da Fábrica.
  3. Fomentar o renascimento da cultura e das artes através do apoio e subsídio às atividades e instituições.

HABITAÇÃO

  1. Elaboração do Plano Municipal de Eliminação de Áreas de Risco.
  2. Criação do Sistema Municipal de Habitação, Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano.
  3. Viabilização de novas moradias, por meio de mutirão associativo, financiamento de habitação de interesse social e parceria empresarial.
  4. Apoio à autoconstrução na reforma e ampliação de moradias, melhorando as condições de moradia da população.

Meira abre frente de 8 pontos em Camaragibe

meira-1 jorge1 Se as eleições fossem hoje, o candidato do PTB a prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira, seria eleito com uma frente de quase nove pontos, derrotando o prefeito Jorge Alexandre (PSDB). Segundo pesquisa do Instituto Opinião, em parceria com o blog do Magno, Meira lidera com 35,3% das intenções de voto, enquanto Alexandre aparece com 27,8%. O candidato do PCdoB, Vinícius Lemos, aparece com apenas 7,8%, enquanto Luiz de França, do PTdoB, tem 1% e Adriano Simplício, do Psol, 0,3%. Brancos e nulos representam 14,3% e indecisos somam 13,8%. Em termos numéricos, como devem votar 90 mil eleitores, Meira teria hoje uma vantagem de mais de oito mil votos, faltando apenas oito dias para as eleições municipais.

Como o candidato do PCdoB está fora da disputa, devido à renúncia do seu vice Alamar Dias, que passou a apoiar Meira, a frente do trabalhista pode ser, na prática, muito maior, porque são eleitores que dificilmente migrariam para Jorge. Na espontânea, modelo pelo qual o entrevistado tem que lembrar o nome do candidato de preferência sem ter acesso aos nomes no disco da pesquisa, Meira aparece com 24,3% e Alexandre tem 21,8%.

Lemos, que não é mais candidato, aparece com 4% e Adriano Simplício foi lembrado por 0,3%. Luiz de França não foi citado pelos entrevistados. Brancos e nulos somam 12,5% e os indecisos representam 36,5%. No cenário de rejeição, o prefeito Jorge Alexandre aparece no topo. Dos entrevistados, 29,5% disseram que não votam nele de jeito nenhum. Aparece em seguida o candidato comunista, com 18,8%. Demóstenes Meira tem apenas 11,3% e Luiz de França 5,3%. Simplício aparece, por fim, com 4,5%. Entre os entrevistados, 9% afirmaram rejeitar todos e 21,6% disseram que não rejeitam nenhum dos candidatos.

O Instituto Opinião aplicou 400 questionários entre os dias 17, 18 e 19 de setembro nas localidades de Alberto Maia, Aldeia, Aldeia de Baixo, Alto da Boa Vista, Alto Santo Antônio, Areeiro, Bairro dos Estados, Bairro Novo, Borralho, Carmelita, Celeiro, Céu Azul, Estação Nova, Jardim Primavera; João Paulo II, Nazaré, Novo do Carmelo, Oitenta, Santa Mônica, Santa Tereza, Santana, São Jorge, Tabatinga, Timbi, Vale das Pedreiras, Vera Cruz, Viana, Vila da Fábrica e Vila Inabi. A pesquisa está registrada no TRE sob o protocolo PE-00736/2016.

O intervalo de confiança estimado é de 95 % e a margem de erro máxima estimada de 4,9 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares.

Quando o levantamento é estratificado, Demóstenes Meira tem melhor desempenho entre os eleitores na faixa etária entre 25 a 34 anos (45,5%), entre os eleitores com escolaridade do 6º ao 9º ano (40,8%) e entre os eleitores com renda familiar de um a dois salários mínimos (38,8%). Por sexo, 36,2% dos seus eleitores são homens e 34,4% são mulheres.

Jorge Alexandre, por sua vez, lidera entre os eleitores jovens, na faixa 16 a 24 anos (38,1%), entre os eleitores com grau de instrução com ensino médio (30,3%) e entre os eleitores com renda familiar de até um salário (30,2%). Por sexo, 31,1% dos eleitores são mulheres e 23,4% são homens.

Gestão reprovada

O instituto Opinião também pesquisou a avaliação das gestões do prefeito, do governador e do presidente da República. O atual prefeito e candidato à reeleição, Jorge Alexandre, tem a expressiva reprovação de 57,3% dos entrevistados, enquanto 34% aprovam sua administração e 8,7% não responderam ou não souberam opinar. O governador Paulo Câmara tem a aprovação de 47,3% e a desaprovação de 32,3%. O presidente Michel Temer é reprovado por 59,8% e conta com a aprovação de 16,8%.

http://www.blogdomagno.com.br/

Denúncia de uso da máquina em Camaragibe pelo Prefeito e candidato à reeleição Jorge Alexandre

magno

Do Blog do Magno

“Funcionários da Prefeitura de Camaragibe, cidade da Região Metropolitana do Recife, foram flagrados, segundo denúncia enviada ao blog pela coligação “Governando com a Força do Povo”, em pleno uso da máquina pública, para campanha à reeleição do atual prefeito do munícipio, Jorge Alexandre (PSDB). O caminhão de Placa KJD-4708, que está a serviço da Secretaria de Obras da cidade, foi fotografado descarregando bambus, na rua Belchior Athaíde dos Santos, centro da cidade. A rua fica por trás do comitê central do candidato. Após o flagrante, os funcionários não quiseram falar e saíram as pressas do local, deixando os bambus na calçada.”

http://www.blogdomagno.com.br/ver_post.php?id=165838&pagina=10126

Prefeito-candidato em Camaragibe, Jorge Alexandre já doou a si mesmo mais de R$ 160 mil

jorge2

Os candidatos a prefeitura de Camaragibe travam uma luta inglória: a dos candidatos que vão gastar milhares de reais contra os que registraram receitas até agora irrisórias para uma campanha eleitoral, como por exemplo R$ 1 mil.

Até agora, o postulante que registrou uma receita maior disponível foi o atual prefeito Jorge Alexandre (PSDB), candidato à reeleição. Ele declarou ter doado para si mesmo R$ 164,6 mil para gastar na campanha e já empregou 6% desse total, segundo informações da Justiça Eleitoral. O valor dos bens declarados por ele somou R$ 1,3 milhão.

Pela atual legislação, os candidatos a prefeito de Camaragibe podem gastar até R$ 449,3 mil numa campanha para prefeito. “Vou conseguir ajuda para atingir este teto”, diz Jorge Alexandre. Ao ser questionado se essa “ajuda” não pode fazer os doadores quererem algo em troca depois da eleição, ele respondeu que os amigos vão doar valores como R$ 3 mil, R$ 5 mil e isso não é uma quantia significativa para querer algo em troca.

http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/politica/pernambuco/noticia/2016/09/07/prefeito-candidato-em-camaragibe-ja-doou-a-si-mesmo-mais-de-r-160-mil-251998.php

Camaragibe tem 6 candidatos a prefeito

eleicoes

Nas eleições 2016, Camaragibe tem 6 candidatos a prefeito. Além do atual prefeito que tenta a reeleição, outros cinco tentam tirá-lo da prefeitura.

Conheça e escolha o seu candidato a Prefeito de Camaragibe.

adriano-simplicio-d

Adriano Simplício – nº 50 – PSOL – Vice: Sandra Souza

 

joao-lemos-pc-do-b-pe-d

João Lemos – nº 65 – PC do B – Vice: Dudu de Zé Chaves

 

jorge-alexandre-psdb-d

Jorge Alexandre – nº 45 – PSDB – Vice: Bosco

 

luiz-de-franca-pt-do-b-d

Luiz de França – nº 70 – PT do B – Vice: Fred Rabello

 

meira-ptb-pe-d

Meira – nº 14 – PTB – Vice: Dra. Nadegi

 

roberto-lira-d

Roberto Lira – nº 29 – PCO – Vice: Leque de Freitas

APÓS REUNIÕES, JORGE ALEXANDRE RETOMA A CANDIDATURA EM CAMARAGIBE

ja

Pense numa confusão. Depois de praticamente ter desistido de disputar a reeleição, o prefeito de Camaragibe, Jorge Alexandre (PSDB), refletiu e decidiu, já na madrugada desta sexta-feira (5), voltar ao páreo. A convenção, que havia sido cancelada na quinta-feira (4), ficará para esta sexta, último dia de prazo pela lei. A dúvida que fica é se a candidatura resiste até a convenção, ás 18h.

Foram várias reuniões durante todo o dia. No final da noite, o prefeito já havia decidido que o candidato seria o seu vice e companheiro de chapa Bosco Silva (PMN).

Após cancelar a convenção, o tucano passou a ouvir aliados. O ministro das Cidades, Bruno Araújo, foi um deles. Informações iniciais, confirmada por um tucano de bico grande, era que o ministro teria ido a Camaragibe para tentar convencer o gestor a desistir da desistência.

Outras fontes afirmam que Araújo teria ido apenas se certificar da situação e teria opinado pela desistência.

Mas já na madrugada desta sexta, após uma rodada de conversas, ocorrida em uma empresa de publicidade, Jorge Alexandre decidiu encarar a disputa.

Mal nas pesquisas internas e alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga suspeita de fraudes em licitações públicas para compra e venda de medicamentos, com desvios que chegaria a R$ 100 milhões, esses eram os motivos que ameaçam levar o prefeito Jorge Alexandre a desistir da empreitada.

Durante o dia, os rumores era de que ele iria elevar o seu vice, Bosco Silva (PSD), à condição de candidato. Mas havia rumores de que ele poderia optar pelo apoio ao deputado estadual Beto Accioly, que há duas semanas anunciou publicamente que apoiaria a reeleição do gestor.

http://blogrevistatotal.com.br/2016/08/05/apos-reunioes-jorge-alexandre-retoma-a-candidatura-em-camaragibe/