Vice de filho de Lemos renuncia e apoia Meira

vicem

Alamar Dias, candidato a vice-prefeito de Camaragibe na chapa do PCdoB, encabeçada por Vinicius Lemos, rompeu com o aliado, pediu a retirada da sua candidatura e passou a apoiar o candidato do PTB, Demóstenes Meira (PTB). Ex-secretário de Articulação política na gestão do ex-prefeito João Lemos, Alamar levou para Meira todo o seu grupo político, inclusive ex-secretários da sua época, esvaziando completamente o bloco comunista. Sua adesão a Meira, que tem como vice a ex-deputada Nadege Queiroz, fortaleceu ainda mais a oposição ao prefeito Jorge Alexandre, que tenta a reeleição.

http://www.blogdomagno.com.br/ver_post.php?id=166124

João Lemos desiste de candidatura em Camaragibe

joaolemos

Como informado na semana passada neste Blog, João Lemos teve registro de candidatura impugnada devido a problemas de improbidade administrativa.

O ex-prefeito de Camaragibe, João Lemos (PCdoB), saiu da disputa pelo comando do município. Após a Justiça eleitoral indeferir o seu registro em primeira instância, por problemas de improbidade administrativa, o comunista não recorreu em segunda instância, na segunda-feira (12), e anunciou a sua desistência. Com a saída, ao que tudo indica, João Lemos deverá ungir o filho, Vinicius Lemos (PCdoB), para o pleito. A decisão deverá ser anunciada, nesta terça-feira (13), em coletiva de imprensa. Segundo o advogado de defesa do comunista, Thales Cabral, o indeferimento do registro de candidatura corresponde a um processo ainda quando ele era prefeito da cidade em 2006.

Lemos é acusado de não ter repassado uma quantia de R$ 25 mil ao pagamento de professores e alunos matriculados no programa Ensino de Jovens e Adultos (EJA). A ação teria sido movida pelo atual prefeito e candidato à reeleição, Jorge Alexandre (PSDB). Segundo a defesa de Lemos, o processo correu à revelia, sem o ex-gestor ter tem­po para se defender. “Va­mos recorrer”, disse Cabral.

Registro

O TRE encerrou, na segunda, o prazo para o julgamento dos pedidos de registros de candidaturas de prefeito, vice-prefeito e vereador, além das im­pugnações e recursos.

http://www.folhape.com.br/politica/2016/9/joao-lemos-desiste-de-candidatura-em-camaragibe-0150.html

João Lemos tem candidatura impugnada em Camaragibe

jl

O ex-prefeito de Camaragibe, João Lemos (PCdoB), teve seu registro de candidatura impugnado pela juíza Roberta Vasconcelos Franco Rafael Nogueira, da 127ª Zona Eleitoral. No despacho, ela justifica que o candidato teve as contas rejeitadas para o exercício financeiro de 2009 pela Câmara municipal quando prefeito do município. “Verifica-se a insanabilidade das irregularidades apontadas, pois são graves e contrárias ao interesse público. As irregularidades configuram ato doloso de improbidade administrativa, configurando ofensa aos princípios da administração pública, já analisadas pelo Tribunal de Contas do Estado e ratificadas pelo legislativo municipal que se pronunciou pela rejeição das contas do impugnado”, constatou.

tse

 

João Lemos já tinha sido condenado a 10 anos de prisão a serem cumpridos inicialmente em regime fechado, por Improbidade administrativa e formação de quadrilha, pelo juiz da 4° Vara Federal de Pernambuco, Jorge André de Carvalho Mendonça, acolhendo denúncia do Ministério Público Federal. De acordo com a denúncia, Lemos contratou, irregularmente, a OSCIP CEGEPO (Centro de Geração de Emprego) para executar todos os programas vinculados ao SUS. Em outro processo também foi condenado a devolver aos cofres públicos, junto com um escritório de advocacia, R$ 18 milhões. Além da devolução dos R$ 18 milhões que terá de fazer com o escritório de advocacia, João Lemos deverá pagar multa de R$ 15 mil, a ser atualizada monetariamente.

PS: A informação sobre a impugnação da candidatura de João Lemos devido à Lei da Ficha Limpa pode ser confirmada no site do Tribunal Superior Eleitoral, através do site da própria instituição: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2016/divulgacao-de-candidaturas-e-contas-eleitorais

http://www.blogdomagno.com.br/ver_post.php?id=165553

Camaragibe tem 6 candidatos a prefeito

eleicoes

Nas eleições 2016, Camaragibe tem 6 candidatos a prefeito. Além do atual prefeito que tenta a reeleição, outros cinco tentam tirá-lo da prefeitura.

Conheça e escolha o seu candidato a Prefeito de Camaragibe.

adriano-simplicio-d

Adriano Simplício – nº 50 – PSOL – Vice: Sandra Souza

 

joao-lemos-pc-do-b-pe-d

João Lemos – nº 65 – PC do B – Vice: Dudu de Zé Chaves

 

jorge-alexandre-psdb-d

Jorge Alexandre – nº 45 – PSDB – Vice: Bosco

 

luiz-de-franca-pt-do-b-d

Luiz de França – nº 70 – PT do B – Vice: Fred Rabello

 

meira-ptb-pe-d

Meira – nº 14 – PTB – Vice: Dra. Nadegi

 

roberto-lira-d

Roberto Lira – nº 29 – PCO – Vice: Leque de Freitas

Ex-prefeito de Camaragibe e advogados terão que devolver R$ 18 milhões aos cofres públicos

jl

O ex-prefeito de Camaragibe, João Lemos (PCdoB) e um escritório de advocacia contratado por ele para tentar recuperar créditos tributários junto à Previdência Social, na época em que estava na gestão, terão que devolver R$ 18 milhões aos cofres do município. Em 2014, o Tribunal de Contas do Estado havia julgado irregulares a contratação do serviço e o pagamento dos honorários a “quantias altíssimas e fundadas em decisões judiciais reversíveis”, conclusão mantida agora, quando a Segunda Câmara do TCE indeferiu, por unanimidade, recurso impetrado pelo político. O caso é relativo a 2012.

“A prefeitura pagou o escritório de advocacia quando conseguiu a vitória inicial, em primeira instância, mas logo depois obteve derrota na Justiça Federal. Não podia ter pago o serviço quando a decisão judicial ainda era precária”, observou o conselheiro Marcos Loreto. Segundo ele, numa situação dessa, o prejuízo é muito grande para o município, pois, além da derrota na ação judicial, pagou quantia muito alta, cerca de 20% do valor que fosse recuperado da Previdência Social.

O recurso apresentado pelo ex-prefeito alegou, entre outras coisas, que os ganhos do município com as ações judiciais movidas pelo Escritório de Advocacia Adjá Tobias Ferreira e Amorim & Vasconcelos Advogados foram substanciais e incontestáveis. Sobres os 20% repassados ao serviço de advocacia, o argumento é de que tinha amparo no Código de Processo Civil e em resoluções da Ordem dos Advogados (OAB). Mas, entendimento do TCE, já anterior (súmula 18), considera que o “pagamento de honorários pelo município só poderá se efetuado após a homologação pela autoridade tributária competente ou após decisão judicial transitada em julgado”.

Para o tribunal, houve “superfaturamento” e “indícios de improbidade administrativa”, além de “enriquecimento ilícito” da sociedade contratada. Além da devolução dos R$ 18 milhões que terá de fazer com o escritório de advocacia, João Lemos deverá pagar multa de R$ 15 mil, a ser atualizada monetariamente. Cópias do processo estão sendo encaminhadas ao Ministério Público e à Ordem dos Advogados do Brasil.

http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/politica/pernambuco/noticia/2016/03/11/ex-prefeito-de-camaragibe-e-advogados-terao-que-devolver-r-18-milhoes-aos-cofres-publicos-225563.php

Segundo Enquete deste Blog, Prefeito Jorge Alexandre perde eleições para o ex-Prefeito João Lemos

eleicoes

Segundo enquete realizada no mês de janeiro no Blog Camaragibe dá Vez, se as eleições fossem hoje, o Prefeito Jorge Alexandre (PSDB) não seria reeleito. O ex-prefeito João Lemos tem a preferência de 36% do eleitorado para governar novamente nosso município. O atual prefeito Jorge Alexandre vem em segundo lugar com 29% e Demóstenes Meira com 15%. Na sequência, Nadegi Queiroz com 8%, Luiz de França com 3% e Adriano Simplício com 2%. 7% do eleitorado não votaria em nenhum dos candidatos apresentados.

resultado1

 

Ainda segundo a enquete, o Prefeito Jorge Alexandre é o que tem a maior rejeição da população, acumulando quase 50% neste quesito. Logo em seguida, o ex-prefeito João Lemos vem com 32%, e em terceiro, Demóstenes Meira. Na sequência, Adriano Simplício e Nadegi Queiroz (7%), além de Luiz de França (6%). 3% não tem rejeições aos nomes e votaria em qualquer candidato.

resultado2

 

 

*** A enquete foi realizada entre os dias 13 e 21 de janeiro de 2016.

*** Todos os votos identificados como duplicados foram automaticamente excluídos pela ferramenta.

*** Esta enquete não se trata da pesquisa eleitoral prevista no art. 33 da Lei nº 9.504/97, e sim de mero levantamento de opiniões, sem controle de amostra, o qual não utiliza método científico para a sua realização, dependendo, apenas, da participação espontânea do interessado. Desta forma, não necessita de registro em cartório eleitoral. Mesmo assim é uma forma de sondagem e levantamento de opiniões reconhecidos e permitidos pela Justiça Eleitoral, o que demonstra sua relevância para a cidadania em nossa cidade.

Ex-prefeito João Lemos é condenado à prisão

joaolemos

Acolhendo denúncia do Ministério Público Federal, o juiz da 4ª Vara Federal de Pernambuco, Jorge André de Carvalho Mendonça, condenou o ex-prefeito de Camaragibe, João Lemos (PCdoB), a 10 anos de prisão a serem cumpridos inicialmente em regime fechado, por improbidade administrativa e formação de quadrilha. De acordo com a denúncia, Lemos contratou, irregularmente, a Oscip CEGEPO (Centro de Geração de Emprego) para executar todos os programas vinculados ao SUS.  Lemos disse que recorreu à decisão. “Minha expectativa é de que seja feita a justiça”.

http://www.impresso.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/cadernos/politica/2016/02/02/interna_politica,136662/curtas.shtml

Camaragibe terá eleição acirrada com antigas lideranças

disputa

Com um ano e três meses antes das eleições municipais, a cidade de Camaragibe, Região Metropolitana do Recife (RMR), deve configurar um clima acirrado para a disputa do próximo pleito. Até agora, três nomes já se colocam como pré-candidatos, entre eles, o do atual prefeito da cidade, Jorge Alexandre (PSDB) e do ex-prefeito João Lemos (PCdoB) e do pré-candidato que disputará as eleições pelo quarto pleito, Demóstenes Meira (sem partido).

Ex-PSB e fechando alianças com a base do ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto (PTB), Demóstenes Meira garante entrar na disputa novamente no próximo ano. “Olhe, eu sou candidato. Eu nunca desisti da minha postulação ao cargo de prefeito. Sou pré-candidato, tenho até o final de agosto e a minha preocupação agora é de montar os partidos e regimentar forças”, revelou.

Meira contou se reunir todas as segundas e quartas-feiras com coordenadores e equipe técnica, respectivamente, para tratar da corrida eleitoral e alegou fazer política com ética. “Eu faço política com decência e não entro na parte da compra de votos. Eu faço política pelo projeto, e se eu puder chegar com a força de Deus e do povo, até porque, o dinheiro que eu uso é declarado e é por isso que eu sou a favor desta reforma política”, destacou.

O pré-candidato avalia de forma negativa a gestão do atual prefeito e dispara dizendo que está pior do que Dilma. “Está aí o exemplo da nossa cidade, com 86% de rejeição. Ele (Jorge Alexandre) despencou de uma forma que está pior do que Dilma (…). A cidade está abandonada, ele fala só de empresários que veio investir em Camaragibe. Ele coloca isso como se fosse o trabalho dele, mas isso não convence ninguém. A educação vai mal, a saúde vai mal, a última gestão do prefeito (João Lemos) gastava de R$ 460 mil a R$ 480 mil  com limpeza, mas assim que ele assumiu ele conseguiu colocar uma empresa ligada ao pai dele e hoje gasta R$ 1200.000,00”, denunciou.

Demóstenes Meira, que deixou o PSB ano passado alegando ter sido traído pelo ex-governador Eduardo Campos, revelou ter possibilidade de migrar para o PTB. “Eu vou marchar no partido do ministro de Armando Monteiro, ou PTB ou o PRB. Eu tenho vários aliados que eu possa disputar um pleito eleitoral. Eu venho de três eleições, de três derrotas e eu tenho tido ascensão. Na primeira obtive 27 mil votos, na segunda 29 mil e na terceira 37,286 mil votos. Eu venho numa ascensão política, por três vezes eu só faço crescer. Nesta eleição eu tenho tudo para ser favorável”, acredita.

O ex-prefeito da cidade, João Lemos (PCdoB), também confirmou entrar na corrida de 2016. “Eu não sou candidato da minha vontade, mas se o povo quiser eu topo. Do jeito que estão às coisas atualmente eu digo que sou”, admitiu. Indagado se já tinha costurado o desejo com o partido, ele se colocou indiferente ao assunto e disse que independente do PCdoB, ele quer entrar na disputa. “Isso é um programa do PCdoB. Se eles não quiserem colocar candidatura eu vou para outro partido. Quem tem mandato muda, ainda mais eu que não tenho”, ironizou.

Assim como Meira, Lemos criticou a gestão de Jorge Alexandre e se colocou como o mais preparado. “Quem está aí não sabe para que veio, além de eu já ter sido (prefeito), são três mandatos de prefeito e eu tenho mais chances de colocar a cidade do mesmo do jeito que estava. Agora, o cabra que diz que resolve a saúde é mentiroso porque isso é um problema do Brasil e ficar acreditando nos recursos federais e estaduais não resolve, você tem que cuidar da sua casa”, destacou.

João Lemos ainda fez questão de garantir sua preparação para administrar novamente à cidade. “Eu me sinto preparado, capaz e ainda depois que a gente vê as falhas que cometeu. Tem que ter um gestor de pulso forte e não dar cargos a quem trabalhou na campanha. Agora, você fica fazendo sem ter equipe técnica e a cidade está afundada”, disparou o pós-comunista.

Demonstrando tranquilidade, o prefeito Jorge Alexandre revelou que sua reeleição já vem sendo articulada. “Graças a Deus está tudo caminhando como planejado. Nós somos aliados da base do governo. Temos a maioria dos candidatos à reeleição a vereador, temos todos os vereadores do município e a maioria dos partidos. Estamos com a gestão tranquila, uma gestão sem débito, com dificuldade como qualquer município, porque os municípios estão atravessando ai uma fase difícil, mas com o pé no chão. Um passo atrás do outro e com cautela, nós estamos conseguindo atingir o nosso objetivo”, comemorou.

Questionado sobre a disputa em meio a adversários antigos como Meira e João Lemos, o tucano acredita que sua equipe e seu trabalho podem somar de forma positiva em seu desempenho. “Eu tenho um grupo bom. Uma orientação boa. Eu acho que o sol nasceu para todos, vamos colocar a nossa campanha na rua e o povo é quem vai decidir. Se o poso estiver satisfeito com a nossa gestão, e nos deixar administrar Camaragibe por mais quatro anos, vai ser bem vindo, e eu vou ficar bastante feliz e vou trabalhar mais e mais porque em dois anos e meio como prefeito eu aprendi muito. As coisas estão começando a acontecer”, ressaltou.

Jorge Alexandre ainda citou a obra da reforma do Mercado Público da cidade com destaque e reforçou a tranquilidade na corrida eleitoral. “Gestão pública é um pouco diferente da gestão privada, mas estamos caminhando para uma reeleição com muita tranquilidade, com muito pé no chão, com muita clareza, olhando nos olhos do povo e ouvindo o povo. Um grande compromisso nosso foi o Mercado Público uma obra que já tem mais de 30% e iremos entregá-la em abril de 2016”, contou o prefeito.

http://www.leiaja.com/politica/2015/07/07/camaragibe-tera-eleicao-acirrada-com-antigas-liderancas/

Auditoria aponta falhas na gestão do imóvel do Hospital Municipal de Camaragibe

A Primeira Câmara do Tribunal de Contas apontou, por meio de um processo de auditoria especial (TC nº 1205772-1), irregularidades na área de saúde, na gestão do então prefeito de Camaragibe, João Ribeiro Lemos, durante o exercício de 2012. O objeto de análise dos trabalhos foi a apuração de possíveis irregularidades na reforma e desapropriação do Hospital do Município. O relator do processo foi o conselheiro Carlos Porto. O Ministério Público de Contas esteve representado na Sessão pela procuradora Eliana Guerra.

Entre as falhas apontadas pela auditoria estão, pagamentos indevidos de aluguéis, no valor de R$ 525.000,00, sob a responsabilidade da secretária de saúde, Ricarda Samara da Silva Bezerra; ausência de auto de vistoria do imóvel locado e de seus agregados, sob responsabilidade da secretaria de saúde do município; irregularidade no valor proposto na ação de desapropriação do imóvel locado para funcionamento do hospital municipal e erros no laudo de avaliação do valor do aluguel do imóvel do hospital. De acordo com o voto do relator, aprovado pela unanimidade dos membros da Primeira Câmara, as defesas apresentadas pelos gestores não foram capazes de justificar as incorreções.

Por essas razões, o objeto da auditoria foi julgado irregular. Foi imputado um débito à então secretária, Ricarda Samara no valor de R$ 525.000,00, que deverá ser atualizado monetariamente a partir do primeiro dia do exercício financeiro subsequente ao das contas analisadas (1º dia útil de 2013). Também foram aplicadas as seguintes multas: Ricarda Samara da Silva, R$ 7.000,00; João Ribeiro Lemos, prefeito R$ 5.000,00 e às empresas David Hardman imóveis e JMC Imóveis, R$ 5.000,00.

Os gestores e as empresas terão até 15 dias, após o trânsito em julgado desta decisão, para efetuarem o pagamento das multas ao TCE, através de boleto a ser emitido clicando aqui. Após o recebimento dos valores, o Tribunal de Contas reverterá o quantitativo para o Fundo de Aperfeiçoamento Profissional e Reequipamento Técnico da Instituição.

Da gerência de jornalismo do TCE

http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2014/07/14/interna_politica,515912/auditoria-aponta-falhas-na-gestao-do-imovel-do-hospital-municipal-de-camaragibe.shtml